Sindicato fantasma prejudica negociação de trabalhadores no setor frigorífico

Os trabalhadores das empresas frigoríficas de Alta Floresta e Região estão sendo literalmente prejudicados com o surgimento de um sindicato fantasma. Trata-se do sindicato SINTIFRIG que supostamente teria sido fundado no ano de 2010, porém, de acordo com relatos de trabalhadores, em nenhum momento algum representante esteve nas empresas frigoríficas defendendo a categoria ou convocando trabalhadores para assembleias.

Um grupo de trabalhadores que atuam na empresa JBS em Alta Floresta, denunciaram a situação, pois, segundo eles, o surgimento deste sindicato está atrapalhando as negociações que estavam em andamento pelo sindicato reconhecido pelos trabalhadores como sendo o único representante da categoria, que é o Sintracal.  “Nunca ouvi falar deste Sintifrig, e o pior de tudo é que este sindicato fantasma está nos atrapalhando, estamos sendo prejudicados”, disse Tiago Berna Alves.  

Para formar um sindicato, primeiramente, é necessária a realização de assembléias, porém segundo os próprios trabalhadores ninguém participou ou teve conhecimento sobre evento promovido pelo Sintifrig. “Trabalho aqui há vários anos e não participei e também ouvi alguém dizer que foi em alguma assembléia deste Sintifrig. Se ele existe, é um sindicato fantasma, ninguém sabia da existência dele”, disse o trabalhador José de Souza.

Paula Fernanda que também trabalha no JBS afirmou não ter conhecimento sobre a existência do Sintifrig. Ela relata que reconhece apenas o Sintracal como representante da categoria, pois já participou de assembléias e sempre participou de reuniões com os representantes sindicais. “Estou ouvido falar deste sindicato (Sintifrig) agora, desde quando trabalho aqui não ouvi comentários e nunca tivemos um representante aqui na empresa”, disse a trabalhadora.

O mesmo relato fez o jovem Everton Silva sobre a suposta existência do sindicato Sintifrig.

A reportagem tentou encontrar o escritório do SINTIFRIG, através do endereço do CNPJ, registrado no número 3052, na avenida Ludovico da Riva, porém o escritório não existe em Alta Floresta e o número seria onde atualmente funcionam os prédios da prefeitura municipal.

Essa prática é muito comum em outras regiões do país, “SINDICATOS fantasmas” são criados para tomar posse da Contribuição Sindical, onde se desconta 1 dia do salário do trabalhador no mês de março, sendo que parte deste dinheiro é destinado aos Sindicatos.

O SINTIFRIG enviou ofícios para algumas empresas do setor frigorífico na região, solicitando que o pagamento das contribuições e as negociações coletivas deveriam ser celebradas com esta entidade, o que causou indignação dos trabalhadores, pois esses sindicatos fantasmas tem a pratica de somente aparecer no mês que antecede o recolhimento do imposto Sindical, sendo que pegam o dinheiro e depois desaparecem. No caso do SINTIFRIG sequer existe uma sede onde o trabalhador possa estar procurando.

O SINTRACAL procurado por nossa reportagem disse estar apurando todas as denuncias sendo que o jurídico vai tomar as medidas cabíveis, inclusive declarações de alguns trabalhadores que tiveram suas assinaturas utilizadas sem saber ao certo qual a finalidade e figuravam como diretores do SINTIFRIG, isso demonstra como agem essas pessoas, aproveitam do pouco conhecimento de alguns trabalhadores e prejudicam toda uma categoria, algumas empresas do setor estão se recusando a negociar e atender solicitações do SINTRACAL, tentando se aproveitar da situação.

No ano passado assim que a nova diretoria foi eleita pelo voto dos trabalhadores, tentou-se criar um sindicato em Matupá, o fato foi denunciado ao SINTRACAL que agiu rapidamente acionando a justiça. Neste caso, o Juiz da Vara do Trabalho de Peixoto de Azevedo suspendeu a assembléia que supostamente iria ocorrer em um endereço que como no caso do SINTIFRIG não existia, estipulando ainda uma multa de R$ 30.000,00 caso tentassem realizar a mesma, neste caso usavam o nome de SINTIFRIMAT, ainda não se sabemo se existe ligação entre SINTIFRIG e SINTIFRIMAT, pois no caso do SINTIFRIMAT utilizaram do anonimato para publicar o edital.

O Ministério do Trabalho e Emprego publicou a PORTARIA Nº 326, DE 1º DE MARÇO DE 2013 visando um maior rigor no reconhecimento das entidades sindicais, inclusive a nova portaria irá revisar os processos em fase de solicitação de registro, como no caso do SINTIFRIG.

“Parte dos sindicatos é constituída sem representatividade, só com o objetivo de arrecadar os recursos dos trabalhadores através das taxas existentes”, admitiu em outras entrevistas o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique da Silva Santos. “Está havendo desmembramento de sindicatos, muitos deles artificiais e piratas”, concorda Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e do Sindicato dos Comerciários de São Paulo. “É o banditismo sindical”

Sindicato como meio de vida -  Estima-se que metade dos sindicatos em operação no País tem como função apenas o recebimento de tributos. Dirigir uma entidade passou a ser meio de vida de algumas pessoas.

O presidente do SINTRACAL, José Evandro Navarro, passou algumas considerações sobre os trabalhos da entidade presidida por ele, “temos um serviço de 0800 (0800-648-1030) onde o trabalhador pode tirar suas dúvidas e fazer denuncias, e também o sindicato está localizado com Sede na Rua do Araújo, 333, ainda dispõe de sub-sedes nos municípios de Colider e Matupá, também possui delegados sindicais devidamente eleitos nas cidades de Guarantã do Norte e Matupá, ainda outras informações podem ser obtidas no site www.sintracal.org.br.”, informou.

(Alex Cordeiro – Jornal O Diário)

Use QR-Code to get this permaking using your Smartphone. QR Code for Sindicato fantasma prejudica negociação de trabalhadores no setor frigorífico

Deixe o seu comentário